AVISO / AVIZO

Links com defeito envie mensagem para esperantocaucaia.cek@gmail.com

Ligilo kiu ne funkcios sendu mesaĝo al esperantocaucaia.cek@gmail.com



KIOM DA HOMOJ PAROLAS ESPERANTON EN LA MONDO

Quantas pessoas falam Esperanto no mundo? Não há uma estatística, mas sabe-se que a língua é falada em 120 países, pois a revista Esperanto da Associação Mundial (Universala Esperanto-Asocio) tem leitores em 120 países. Alguém assinaria uma revista só para ver as as imagens? Eu assino para me informar das atividades da língua nos cinco continentes.Para ter uma idéia de quantas pessoas falam o Esperanto, foi criada uma página. Se você fala Esperanto assine a petição e se quiser deixe um comentário, em Esperanto, é claro.

http://www.thepetitionsite.com/1/esperanto-parolantoj-en-la-mondo/



Kiom da homoj parolas Esperanton en la mondo. Ne estas statistiko, sed oni scias ke, la lingvo estas parolata en 120 landoj, ĉar la revuo Esperanto de la Universala E-Asocio estas abonata en 120 landoj. Ĉu iu abonus gazeton nur por vidi la bildojn? Mi abonas ĝin por informiĝi pli la agadoj de la lingvo en la 5 kontinentoj.

Por havigi ideon pri kiom da homoj parolas Esperanton, estis kreita paĝon. Se vi parolas Esperanton subskribu la peticion.

http://www.thepetitionsite.com/1/esperanto-parolantoj-en-la-mondo/

Curso Básico de Esperanto 23/08/2009 – 2º Aula

quinta-feira, 20 de agosto de 2009

0 comentários
Pronomes pessoais
É importante conhecer os pronomes pessoais, pois é através deles que se sabe em que pessoa o verbo se encontra. mi – eu vi – você li – ele (referindo – se a pessoa do sexo masculino) ŝi – ela (referindo – se a pessoa do sexo feminino) ĝi – ele, ela (referindo – se a coisa ou animal) ni – nós vi – vós, você, vocês ili – eles,elas (referindo – se a pessoas, coisas ou animais) Existe o pronome ci (tu), que é usado mais em poesias, nos diálogos, usa – se sempre o pronome vi. Existe ainda o pronome oni que significa ‘‘a gente’’ ou ‘‘se’’. Exemplo: Oni iras al la urbocentro per buso.
Pronomes possessivos
Para formar os pronomes possessivos, basta acrescentar a terminação a dos adjetivos aos pronomes pessoais. mia – meu, minha via – teu, tua lia – seu, sua = dele ŝia – seu, sua = dela ĝia – seu, sua = dele, dela (em relação a coisas ou animais) nia – nosso, nossa via – vosso, vossa ilia – seu, sua = deles, delas O plural dos pronomes possessivos se forma pelo acréscimo da letra j. Exemplos: miaj, viaj, liaj...
Interrogtivos
Kie? Onde?, é um interrogativo de lugar. Kie vi laboras? Mi laboras em oficejo. Observações: os interrogativos Kiu? (quem, qual, que) e Kia? (como); podem ser usados no plural (Kiuj? e Kiaj?); isso acontece quando na resposta a palavra a que eles se referem está no plural. Exemplo: Kiuj alvenis? La gelernantoj alvenis.
Afixos
mal – prefixo que indica ‘‘idéia contrária’’, ou seja, o antônimo: granda – grande malgranda – pequeno pli – mais malpli – menos ist – sufixo que indica que alguém é ‘‘profissional de’’ ou ‘‘adepto de’’: se instrui é ensinar, instruisto é professor maro – mar, maristo – marinheiro
Observação: o prefixo mal indica exatamente o antônimo das palavras, e não a idéia de uma qualidade má, a idéia de má qualidade ou insignificante, é expressa pelo sufixo , que será estudado mais adiante.
Fonte: Esperanto para principiantes, de Aloísio Sartorato

Curso Básico de Esperanto 16/08/2009 – 1º Aula

quarta-feira, 19 de agosto de 2009

0 comentários
Alfabeto e Pronúncia
O Esperanto é uma língua fonética. Isto significa que a cada letra corresponde um único som. O alfabeto é constituído de 28 letras.
Com exceção das palavras monossilábicas, todas as demais são paroxítonas, ou seja, a acentuação tônica recai sempre na penúltima sílaba.
O número de sílabas de uma palavra é determinado pelo número de vogais. Exemplo: a palavra utopio tem quatro vogais (u-to-pi-o), portanto quatro sílabas.
Em Esperanto não há acentos diacríticos (til e acentos agudo, grave ou circunflexo) sobre as vogais.
No alfabeto do Esperanto existem cinco consoantes com acento circunflexo e uma consoante com braquia; foi um artifício encontrado por Zamenhof para representar seis sons baseando – se em letras já existentes no alfabeto latino, diferenciando – as das demais por meio destes sinais ˆ e ˘, essa escolha pareceu – lhe mais apropriada do que ‘‘inventar’’ novas letras, usar letras de alfabetos de línguas de escritas diferentes, ou ainda, introduzir dígrafos no idioma. Essas consoantes são: ĉ, ĝ, ĵ, ĥ, ŝ, ŭ.
Alfabeto
a, b, c, ĉ, d, e, f, g, ĝ, h, ĥ, i, j, ĵ, k, l, m, n, o, p, r, s, ŝ, t, u, ŭ, v, z.
O alfabeto deverá ser lido da seguinte maneira: a, bo, co (tsô), ĉo (tchô), do, e, fo, go, ĝo (djô), ho (rrô), ĥo ( rrr ô), i, jô (iô), ĵo (jô), ko, lo, mo, no, o, po, ro, so (ssô), ŝo (cho), to, u, ŭo (uô), vo, zo.
Vogais
As vogais são as mesmas do português: a, e, i, o, u.
A soa como a de árvore - arbo
E soa como e de elefante - elefanto
I soa como i de idéia - ideo
O soa como o de orelha - orelo
U soa como u de utopia - utopio
Observações:
A letra a deve ser sempre pronunciada como a e nunca como ã
As letras e e o jamais viram i ou u
As vogais quando seguidas de m ou n , não devem ser nasalizadas
As vogais são sempre pronunciadas em sílabas diferentes, formando hiato
Consoantes
b soa como o b de banco - banko
d soa como o d de documento - dokumento
f soa como o f de futebol - futebalo
g soa como o g de gazeta - gazeto
j soa como o i de boicote - bojkoto
ĵ soa como o j de jornal - ĵurnalo
k soa como o c de café - kafo
l soa como o l de livro - libro
m soa como o m de mar - maro
n soa como o n de nariz - nazo
p soa como o p de parque - parko
r soa como o r de oriente - oriento
s soa como o s de suco - suko
ŝ soa como o ch de chance - ŝanco
t soa como o t de telefone - telefono
ŭ soa como o u de Europa - Eŭropo
v soa como o v de vida - vivo
z soa como o z de zebra - zebro
Observações 1:
Existem ainda cinco consoantes que merecem explicações adicionais:
c tem um som equivalente a ts, como na palavra portuguesa tsé – tsé Exemplos: centro (tsen – tro) = centro placo (pla – tso) = praça
h tem um som ‘‘aspirado’’ como na palavra inglesa ‘‘help’’. Tem um som aproximado da letra r do português, em inicio de palavra. Exemplo: homo (rro – mo) = pessoa subtraho (sub – tra – rro) = subtração
ĥ tem o som ‘‘gutural’’ ou ‘‘fortemente aspirado’’, como o j do espanhol (mujer). Assemelha – se ao som que emitimos, quando fazemos gargarejo. Exemplo: ĥoro (rrro – ro) = coro, coral jaĥto (iarrr – to) = iate
ĉ tem um som equivalente a tch, como na palavra portuguesa ‘‘tcheco’’. Exemplos: ĉokolado (tcho – ko – la – do) = chocolate dimanĉo (di – man – tcho) = domingo
ĝ tem o som equivalente a dj , como na palavra portuguesa ‘‘adjetivo’’. Exemplo: ĝardeno (djar – de – no) = jardim vizaĝo (vi – za – djo) = rosto
Observações 2:
As letras d e t nunca deverão ser pronunciadas como dj (ditado = djitadu) ou tch (titio = tchitchiu).
A letra l jamais vira u.
O m ou n , quando vem após vogais, devem ser claramente pronunciados (o m é bilabial e o n é dental).
O g pronuncia – se sempre ‘‘forte’’, ou seja, ‘‘ga, gue, gui, go, gu’’.
O j que soa como um i (breve), e o ŭ , que soa como um u (breve), formam sempre ditongo com a vogal mais próxima.
O r que é dental, é sempre ‘‘brando’’, seja iniciando palavra ou não: revuo (revista), urbo (cidade).
O s em qualquer posição, equivale sempre ao som do ss do português.
Terminações
Ao contrário das línguas nacionais, as principais categorias gramaticais, em Esperanto, são identificadas por terminações especificas.
o - substantivo a - adjetivo e - advérbio derivado j - plural i - verbo no infinitivo as - tempo presente is - tempo passado os - tempo futuro us - modo condicional u - imperativo
Substantivo
Todo substantivo no singular termina pela letra o: leciono (lição), kurso (curso), tabulo (quadro).
Adjetivo
Todo adjetivo no singular termina pela letra a: moderna (moderno), nigra (negro), granda (grande).
Observação: o plural tanto dos substantivos quanto dos adjetivos é feito pelo simples acréscimo da letra j.
Advérbio derivado
Todo advérbio derivado termina pela letra e. Exemplo: bona – bom bone – bem
Verbo
Em Esperanto, só existe uma conjugação. Os verbos no infinitivo terminam pela letra i: alveni (chegar), paroli (falar), foriri (partir). Nos tempos presente, passado e futuro, os verbos mantêm a mesma terminação, em todas as pessoas. Exemplo: mi demandas vi respondas mi demandis vi respondis mi demandos vi respondos
O pronome ou substantivo que acompanha o verbo é que irá determinar em que pessoa o verbo se encontra. Portanto, o verbo nunca pode vir desacompanhado do pronome ou substantivo a que se refira.
Artigo
Em Esperanto o artigo definido (o, a, os, as) é la, o artigo definido é único. Exemplos: la kurso – o curso la kursoj – os cursos
Entretanto, em Esperanto não se usa o artigo definido la diante de nomes próprios. Exemplos: O Luís diz – se Ludoviko O Brasil – diz – se Brazilo
Porem, se o nome próprio vier precedido de adjetivo, pode – se usar o artigo definido la. Exemplos: La vasta Brazilo – o extenso Brasil La bonkora Ludoviko – o bondoso Luís
Observação: em Esperanto, não existe artigo indefinido (um, uma, uns, umas).
Também são considerados nomes próprios:
- as grandes festas: natal = kristnasko, páscoa = pasko - os nomes: das estações do ano, dos meses, dos dias da semana e das partes do dia. - com os adjetivos possessivos: mia, via, lia,... - com o vocábulo ambaŭ. - com os correlativos: ĉiu, kiu,...
Interrogativos:
São palavras que servem para indicar que estamos fazendo uma pergunta.
Kiu? Significa ‘‘Quem?’’ e, em geral, serve para individualizar: Kiu alvenas? – La instruisto alvenas.
Kio? Significa ‘‘O que?’’ e, em geral, refere – se a coisas ou animais: Kio sonoras? – La sonorileto sonoras.
Kia? Significa ‘‘Como?’’, no sentido de ‘‘de que qualidade, de que espécie’’: Kia estas la tabulo? – La tabulo estas nigra.
Kiel? Significa ‘‘Como?’’, mas no sentido de ‘‘de que maneira’’: Kiel vi fartas? – Mi fartas bone.
Ĉu? Usado no começo de uma pergunta, que não é indicada por um interrogativo específico (Kiu? Kio? Kia?, etc.): Ĉu vi parolas en Esperanto? – Ne, mi lernas.
Afixos
São prefixos ou sufixos que se juntam aos radicais para formar novas palavras.
in – sufixo que serve para formar o feminino das palavras de seres sexuados (homem/animal), porque em Esperanto, não existe gênero gramatical. Exemplos: patro (pai) – patrino (mãe)
ge – prefixo que serve para indicar a reunião dos dois sexos: Exemplo: gepatroj – pais: pai e mãe
Fonte: Esperanto para principiantes, de Aloísio Sartorato

A História do Esperanto

0 comentários

Para falar do Esperanto é necessário falar de seu idealizador, pois não há como falar do Esperanto sem falar de Zamenhof.

Ludoviko Lazaro Zamenhof

Nasceu em 15 de dezembro de 1859, em Bialystok, no extremo norte da Polônia, na época domínio do império russo.

Naquela época para melhor subjugar, os russos adotavam a tática do ‘‘dividir para reinar’’, estimulando o choque de ódios raciais, religiosos e nacionais entre os grupos que viviam em solo polonês. Assim viviam polacos, lituanos, judeus e alemães, em plena desarmonia.

Foi nesse clima que Zamenhof cresceu e viveu sua infância. Desde criança, ele cultivava a idéia de criar uma língua, através da qual as pessoas de sua cidade pudessem se entender.

Talentoso, ele aprendeu vários idiomas e, ainda ginasiano, elabora a ‘‘lingwe universala’’, que tornou – se a predecessora do Esperanto. Num dia de 1878, Zamenhof comemora, com alguns colegas de turma, o nascimento daquele idioma.

O pai, porem, preocupado não só com o futuro do filho, mas também com o regime em que viviam, faz com que ele se comprometa a deixar de lado seu idioma, para empenhar – se nos estudos.

Ao concluir os estudos, em 1879, transferiu – se para Moscou, para cursar a faculdade de medicina.

Num de seus retornos, de férias, a casa paterna, Zamenhof tenta localizar seus manuscritos, mas, não os encontra, e descobri que o pai os queimara. A partir desse fato, Zamenhof, passa, pacientemente, a reconstruir todo o seu idioma, (dividindo – se entre a medicina e a realização de seu ideal), testa – o de todas as maneiras. Traduz grandes obras da literatura mundial. Procura aproximar sua sonoridade ao italiano, na época, a língua mais adequada para o canto.

Ao regressar para Varsóvia conhece a senhorita Clara Silbernik, com quem enamora – se.

Conhecedor do hebraico, do latim, do grego, e de numerosas línguas modernas, Zamenhof, conseguiu, com rara maestria, intensos estudos e um trabalho gigantesco, criar uma língua com característica, estilo e espírito próprios, viva, simples e extremamente rica.

Em 26 de julho de 1887, com o auxilio financeiro de seu futuro sogro, Zamenhof lança o Esperanto para o mundo. Ele publica com o pseudônimo de D-ro Esperanto, a brochura: Unua Libro de la Lingvo Internacia, antaŭparolo kaj plena lernolibro, o primeiro livro para o aprendizado do idioma.

Em 09 de agosto de 1887, casa – se com a senhorita Clara.

As centenas de adeptos que foram surgindo passaram a chamar o idioma de ‘‘Língua do Doutor Esperanto’’, de modo que o titulo ‘‘Língua Internacional’’, acabou cedendo lugar ao pseudônimo do próprio autor, através do qual se consagrou o nome da língua, passando então a ser chamada de: Esperanto, que significa ‘‘aquele que espera’’.

Ainda em 1887, lança seu segundo livro: Dua libro de l’ Lingvo Internacia de D-ro Esperanto.

Em 1905, ocorre em Boulongne-sur-mer, na França, o primeiro Congresso Mundial de Esperanto, onde quase mil pessoas se confraternizam e utilizam o idioma em toda a sua plenitude.

Em 1914, a deflagração da 1º Guerra Mundial interrompe a expansão do movimento esperantista.

Em 14 de abril de 1917, Zamenhof falece, em Varsóvia.

Finda a 1º Guerra, retoma – se o movimento, mas, é interrompido novamente, com a eclosão da 2º Grande Guerra. Hitler devota ódio mortal aos esperantistas. Proíbe manifestações esperantistas na Alemanha e nos países por ela dominados. Persegue, encarcera e manda matar os esperantistas.

Em 1940, na Polônia, a família Zamenhof é dizimada pelos nazistas.

Uma declaração de 27 membros da Academia Francesa das Ciências definiu o Esperanto como ‘‘uma obra – prima de lógica e de simplicidade’’.

Em agosto de 1950 foi apresentada as Nações Unidas uma petição em favor do Esperanto, com cerca de 17 milhões de assinaturas.

Em 10 de dezembro de 1954, na Conferencia Geral da UNESCO, realizada em Montevidéu, foi aprovada, uma resolução, a favor do Esperanto, onde a UNESCO recomenda aos Estados – Membro a considerar o valor educacional, cientifico e cultural do Esperanto.

O Esperanto é uma língua viva.

O objetivo do Esperanto não é substituir os idiomas nacionais, mas, ser a segunda língua de cada povo. Na verdade o Esperanto funciona como fator de preservação da cultura e da soberania de cada povo.

O Esperanto é neutro, não tem, não forma e nem defende opinião política, econômica ou religiosa; e sua cultura é formada por todas as culturas. É por esse motivo, uma ponte ideal entre os povos.

Aprender Esperanto equivale a romper de fato com as barreiras da diversidade lingüística que existe no mundo.

O Esperanto não tem complicações ortográficas; a escrita é extremamente fonética e a pronúncia é acessível a todos os povos. Possui uma gramática simples e regular, que resume – se em 16 regras fundamentais.

Zamenhof foi um gênio lingüístico, um idealista e grande humanista, pois em épocas de grandes conflitos idealizou , criou, cultivou e fez nascer um sonho; uma semente de igualdade e cordialidade entre os homens, ele plantou no seio da humanidade mais que uma semente, um desejo, desejo de lutar por um mundo melhor. Como grande humanista deu ao mundo o seu ideal, tornou o Esperanto como a água e o ar, que não tem dono, e por isso a todos pertencem.

Agradeçamos então a este homem, que presenteou a humanidade com seu ideal de democracia e união.

Por Jamilly S. Vilante, Presidente Fundadora do CEK

Fontes:

*Esperanto para principiantes, de Aloísio Sartorato

*Esperanto Conversacional, de Jair Salles

*Esperanto Baza Kurso, de Marco Antônio Ferreira Teixeira

*Dicionário Completo Esperanto / Português, de Allan Kardec Afonso Costa

*Esperanto Sem Mestre, de Francisco Valdomiro Lorenz

Nota de Agradecimento.

terça-feira, 11 de agosto de 2009

0 comentários

O CEK – Caucaia Esperanto Klubo é um ideal; e como todo ideal precisa de mãos solidarias para se concretizar e formar raízes. Por este motivo, nós do CEK, queremos agradecer:

A senhora Aldenizia Maria Rocha, diretora da Escola E. I. E. F. Maria Andrade, por ceder espaço para realizarmos nossos encontros, palestras e curso de Esperanto;

A Empresa de transportes Vitoria, que através da senhora Célia Viana vem nos apoiando na divulgação do CEK e de nossas atividades no jornal do ônibus;

Aos senhores Hilbernon Almeida Filho Presidente da CEA (Cearaa Esperanto Asocio), Wandemberg Ribeiro de Morais Vice – Presidente CEA, Roberto Alves Albuquerque membro da CEA, Afonso Silva de Lima membro da CEA e professor de Esperanto, por seu apoio cultural e financeiro na formação dos alicerces deste ideal;

Ao senhor Antonio José da Silva pela doação dos primeiros livros de nossa biblioteca;

Ao senhor Aloísio Sartorato pela permissão da publicação de partes do seu livro no blog e por sua ajuda em traduções e revisões;

Ao senhor Fábio Abreu de Sousa pela impressão de material de aula e divulgação;

Ao senhor Francisco Moisés de Lima Santos pela colaboração com material de divulgação, de palestras e cursos;

Ao senhor Francisco José de Lima pelo apoio na manutenção de nossas páginas na rede;

E a todos que, apesar de não serem citados colaboraram para a realização deste ideal.

A todos o nosso muito Obrigado!

Atenciosamente

Jamilly Silva Vilante

Presidente Fundadora do CEK

Cronograma do curso

0 comentários

16/08/2009 1ª Aula

Alfabeto e pronúncia

Substantivo

Adjetivo

Advérbio derivado

Artigo

Terminações gramaticais

Interrogativos: Kiu?, Kio?, Kia?, Kiel?, Ĉu

Afixos: in, ge

23/08/2009 2ª Aula

Pronomes pessoais

Pronomes possessivos

Interrogativo: Kie?

Afixos: mal, ist

13/09/2009 3ª Aula

Verbos/ Tempos simples

Interrogativo: Kiam?

Afixos: ej, il

As sudações em Esperanto

20/09/2009 4ª Aula

Formação de palavra

Interrogativos: Kies?, Kiom?

Afixos: ul, eks

04/10/2009 5ª Aula

O objeto direto em Esperanto

Afixos: bo, id, pra

18/10/2009 6ª Aula

Numerais

Como dizer as horas

08/11/2009 7ª Aula

O reflexivo em Esperanto

Interrogativos: Kial?, Ĉar

22/11/2009 8ª Aula

Acusativo de direção

Como perguntar a idade

Afixos: dis, ad, re

07/03/2010 Revisão

14/03/2010 9ª Aula

Pronomes demonstrativos e relativos

Afixos: mis, estr, ek

21/03/2010 10ª Aula

Verbos/ Tempos compostos

Particípios

Afixo: aĵ

11/04/2010 11ª Aula

Acusativo substituindo preposição

Como dizer datas

Afixos: ig, iĝ, ar, er, ind, end

18/04/2010 12ª Aula

Preposições: al, anstataŭ, antaŭ, apud, ĉe, ĉirkaŭ, da, de, dum, ekster, el

16/05/2010 13ª Aula

Preposições: en, ĝis, inter, je, kontraŭ, krom, kun, laŭ, malgraŭ, per, po, por, post, preter, pri, pro, sen, sub, super, sur, tra, trans

23/05/2010 14ª Aula

Advérbios

Graus de comparação

Afixos: eg, et, ĉj, nj

13/06/2010 15ª Aula

Conjunções

Interjeições

Afixos: ec, ebl, em, aĉ, um, uj, ing, na,ism

20/06/2010 Revisão

 

Posts Comments

©2006-2010 ·TNB